0

Presidenciais americanas: a corrida à Casa Branca três primárias depois

A política americana começa a aquecer. Com três primárias disputadas para cada um dos dois partidos, continua tudo em aberto e é ainda cedo para se dizer com certeza quem ganhará as nomeações. Mas que leitura podemos fazer até ao momento?

Os democratas continuam divididos, mas Hillary Clinton leva neste momento uma ligeira vantagem. Após a derrota em New Hampshire, para Bernie Sanders, a candidata alterou a sua estratégia de campanha: reduziu os political ads e apostou no organizing no terreno. O resultado foi uma importante vitória nas primárias do Estado do Nevada, que, não só recuperou a moral da sua campanha, como lhe deu uma vantagem de 6 delegados face a Sanders (22 contra 16). Mas luta continua renhida entre os dois.

Apesar do ascendente de Hillary, as próximas primárias serão decisivas para verificarmos se avança para uma caminhada triunfante ou se Sanders continua a ter uma palavra a dizer. Será Sanders apenas um fenómeno efémero? As próximas primárias Democratas do Alabama, no dia 1 de Março, serão decisivas para dar a Clinton uma onda de favoritismo ou recolocar Sanders na corrida à Casa Branca. Para já, com três primárias disputadas, Hillary leva uma vantagem de 65 delegados contra os 50 de Bernie.

O caso republicano é distinto. Também com três primária disputadas, Trump parece caminhar para a nomeação. Depois de ter perdido o arranque em Iowa para Ted Cruz, venceu a segunda primária consecutiva e tem, neste momento, uma vantagem considerável de delegados eleitos. Conta com 60 delegados, contra 8 de Cruz e 7 de Rubio. Mas nem tudo está fechado. Será uma uma possível aliança entre Cruz e Rubio suficiente para derrubar Trump? Ou, poderemos ter desistências com direito a apoios a um ou outro candidato? Ambas as possibilidades podem fazer reequilibrar a corrida republicana.

Para já, o grande derrotado republicano é Jeb Bush. Depois de gastar 150 milhões de dólares em campanha, desiste à terceira ronda. Terá sido este o final do clã Bush? Resta saber quem beneficiará da sua desistência. Para já, fala-se em Rubio, que, posicionando-se como um candidato de centro-direita, pode beneficiar dos recursos libertados, por exemplo, no Estado da Flórida.

Sem dúvida que são tempos interessantes e ainda é cedo para se fazer qualquer previsão dos resultados finais. O confronto Clinton contra Sanders, no Partido Democrata, e os possíveis jogos de apoios para tentar derrubar Trump, no Partido Republicano, prometem aquecer a corrida à Casa Branca.

Estes são os resultados até ao momento:

Captura de ecrã 2016-02-21, às 16.21.48

nunodasilvajorge

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *